Total de visualizações de página

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Turismo investe R$ 57 milhões em centros de artesanato



Pasta destinou recursos para construção e reforma desses espaços em 148 municípios brasileiros


Em todo o país, cerca de 8,5 milhões de brasileiros fazem do artesanato o seu negócio, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Juntos, esses microempreendedores movimentam mais de R$ 50 bilhões por ano. Em apoio ao trabalho que é parte da cultura e do turismo brasileiros, o Ministério do Turismo já investiu R$ 57, 4 milhões na construção e reforma de centros de comercialização de artesanato. Até agora, 148 municípios foram beneficiados, entre os quais estão Maravilha (SC) e Timon (MA).


De forma geral, a produção artesanal é fruto do aproveitamento de matérias-primas locais. Em toda parte do Brasil, cada souvenir é um pequeno relato da história local. A renda filé, originalmente produzida em Alagoas; os tradicionais objetos em pedra sabão, de Ouro Preto; a cerâmica Marajoara feita sobretudo por indígenas da Ilha de Marajó, no Pará, e as peças de capim dourado que se tornaram um símbolo do Jalapão (TO) estão entre os exemplos regionais. "Um produto artesanal revela a memória e a identidade de um povo. Essa produção que gera empregos e renda em todo o Brasil faz parte da experiência do viajante. Temos motivos de sobra para investir e apostar nos bens culturais como patrimônio de um destino", afirma o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

A pedagoga Luana Carulla, 28, casada, conta que em sua última viagem de carnaval comprou uma boneca baiana de barro em Salvador. “Compramos essa boneca numa viagem especial: foi nossa primeira viagem de navio e estávamos comemorando cinco anos de casados. Sempre que olho pra ela, me traz muitas lembranças”, contou ela ao portal do Turismo.


O Ministério do Turismo também vai investir R$ 2,2 milhões na compra de 1.200 barracas para venda de produtos criados por artesãos cadastrados no Sistema Nacional de Cadastro do Artesanato Brasileiro (Sicab), nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo. O artesanato está entre os principais atrativos materiais do Turismo Cultural.

Em parceria com a Secretaria de Micro e Pequena Empresa e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO), a pasta também apoiou a realização de mostras de artesanato nos aeroportos, durante a Copa das Confederações. Em junho deste ano, as exposições passaram por Salvador, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza.



Nenhum comentário: