Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de outubro de 2013

UMA UNIVERSIDADE DA ONU NO BRASIL



Seminário internacional debate o combate à violência na América Latina e propõe uma universidade sobre segurança no Brasil. Para presidente da Embratur, evento ajuda a dar visibilidade ao país

Teve início nesta segunda-feira (21), no Rio de Janeiro, a Assembleia Geral de Instalação do Comitê Permanente da ONU para Prevenção ao Crime na América Latina. O comitê tem como função elaborar diagnósticos, propor soluções e trocar experiências de sucesso no enfrentamento ao crime.

O evento foi presidido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, e contou com a presença do ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, e de Flávio Dino, presidente da Embratur.

"Agradeço a Dino que, no papel de presidente da Embratur, compreendeu desde o primeiro momento a importância do debate sobre o enfrentamento da violência para o progresso da indústria turística do Brasil", afirmou Lewandowski.

O ministro da Justiça aproveitou para apresentar números do esforço do governo federal em combater o crime. Segundo Cardozo, Alagoas foi o primeiro estado da federação em que houve um trabalho sistemático entre governo estadual e federal. "Tivemos, nesse período, uma redução de 20% do número de homicídios no estado e de 25% na capital Maceió", afirmou.

"Isso comprova que, com ações conjuntas de investigação e troca de informações, podemos avançar", afirmou Cardozo. "Por isso, é fundamental esse debate".

Dino falou da importância política do debate sobre o tema e da relevância do encontro para o turismo brasileiro. "A paz é um pré-requisito para a indústria do turismo", afirmou o presidente da Embratur.

Durante o debate, o ministro Lewandowski propôs a criação de uma universidade internacional sobre segurança pública, no âmbito da ONU, a ser instalada no Brasil. O presidente da Embratur apoiou a ideia. "Do ponto de vista das políticas públicas, é necessário primeiro entender um problema para melhor enfrentá-lo", afirmou. "E do ponto de vista de projeção internacional, seria muito positivo já que recepcionaríamos o primeiro escritório da ONU na América do Sul", concluiu Dino.


Assessoria Imprensa- Embratur



Nenhum comentário: