Total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Cooperativa Vinícola Garibaldi apresentou em primeira mão para um seleto grupo de jornalistas e blogueiros sua novidade para ser lançada em janeiro de 2014

Uma linha de vinhos com a cara do Brasil. É assim que a Cooperativa Vinícola Garibaldi entrará no mercado de vinhos super premium. O lançamento da linha Acordes, ícone da Garibaldi, será no aniversário de 83 anos da cooperativa, em 22 de janeiro de 2014. Antes, em primeira mão, 14 jornalistas de 10 cidades brasileiras tiveram a oportunidade de degustar os melhores vinhos já elaborados pela Garibaldi – dois varietais, das uvas Merlot e Chardonnay, e um espumante elaborado pelo método tradicional (champenoise), com as uvas Pinot Noir e Chardonnay. Serão apenas 3 mil garrafas de cada rótulo, com uvas colhidas exclusivamente em safras de alta qualidade. “A nossa aposta é no segmento on-trade, especialmente em restaurantes com vocação gastronômica”, afirma o presidente Oscar Ló. O rótulo da linha Acordes é ilustrado com aves brasileiras que formam acordes musicais. “Há três anos preparamos esse lançamento como a revelação de uma obra-prima”, comenta.
Os jornalistas e blogueiros convidados do 2º Enotour .DOC Garibaldi foram os seguintes: Adriana Nasser (Site Querocomer; Brasília), Andréia Debon (A Vindima, Florense e Bon Vivant; Flores da Cunha), Cláudio Werneck (Le Vin Au Blog; Rio de Janeiro), Cristina Lira (Blog Turismo por Cristina Lira; Natal), Daniel Negreiros (jornal O Estado; Fortaleza), Didú Russo (Prazeres da Mesa e Site do Didú Russo; São Paulo), Eduardo Villarinho Simões (Vinhozinho; Rio de Janeiro), João Mattos (Jornal do Comércio; Porto Alegre), Luciana Leite (Diário de Cuiabá e Site Nova Mesa; Cuiabá), Marcos Graciani (revista Amanhã; Porto Alegre), Mauro Corte Real (Porto Alegre), Raquel Nogueira Caldas Sodré (jornal O Tempo; Belo Horizonte), Raquel Nunes (Site Gastromania; Rio de Janeiro) e Tatiana Meira (Diário de Pernambuco; Recife). Eles ficaram de sexta (25) até domingo (27) em Garibaldi, onde também participaram da Fenachamp, a maior festa do espumante brasileiro.
Números
A Cooperativa Vinícola Garibaldi pretende alcançar um faturamento de R$ 70 milhões este ano – 22% a mais do que os R$ 57,3 milhões alcançados em 2012. Atualmente, a empresa destina a maior parte de seus produtos a três estados: Rio Grande do Sul, São Paulo e Paraná. Também estão presentes na lista dos maiores consumidores dos rótulos da Garibaldi os estados de Santa Catarina, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará e Bahia.
O balanço de 2012 aponta os novos rumos do mercado de espumantes e de suco de uva. A cooperativa vendeu 12,4% mais espumantes do que em 2011. Os dados são ainda mais impressionantes quando avaliados o resultados da comercialização de suco de uva: 75,2% superiores às vendas de 2011, perante um crescimento de 20,4% do mercado nacional da bebida.  “A importância do desenvolvimento de novas linhas de produtos, de investimentos em tecnologia, capacitação dos colaboradores, qualificação das práticas de cultivo, e das ações de valorização de nossa marca foram evidenciados no balanço de 2012. Foi um ano positivo e surpreendente”, destaca Oscar Ló.
O presidente da cooperativa salienta que, neste ano, a promoção da sustentabilidade e a venda de toda a linha de produtos da cooperativa são metas prioritárias. “Queremos ampliar nosso market share e aumentar nossa oferta de produtos aos clientes, pois temos um rol bem diversificado”, diz ele.
Safra 2013
A excelente qualidade da safra de uva deste ano foi comemorada na Cooperativa Vinícola Garibaldi. De acordo com o enólogo Gabriel Carissimi, o índice de maturação fenólica das uvas ficou bem acima do índice da safra anterior, o que indica vinhos de bom teor alcoólico e, consequentemente, bem estruturados; com elegância e finesse ao paladar “As condições climáticas permitiram que as uvas colhidas neste ano apresentassem um alto nível de sanidade, resultando em vinhos e espumantes de aromas intensos e de ótimo equilíbrio ao paladar”, aponta Carrisimi ao destacar também que os vinhos brancos deverão ter como característica fundamental a sutileza e a refrescância ao paladar.
A qualidade deverá compensar a retração no total da safra, que ficou 11,5% menor do que em 2012, totalizando 15,2 milhões de quilos de uva – em 2012, foram colhidos 17,2 milhões de quilos. O inverno mais seco e ameno registrado no ano passado acelerou o processo de maturação das frutas e, por conta disso, a colheita se encerrou mais cedo para as famílias associadas da Garibaldi. Além dos vinhos e espumantes, a expectativa é de uma ótima produção de suco de uva, pois o mesmo apresentará uma concentração de compostos fenólicos (antioxidantes) acima da média, o que impulsiona para um estilo de vida mais saudável ao consumidor.
HistóriaA Cooperativa Vinícola Garibaldi foi criada em 1931 logo depois da grande Crise de 29, quando excesso de produção de vinho acumulada nas pequenas propriedades do interior e as crescentes dificuldades de comercialização levaram um grupo de 73 produtores a unirem-se e fundarem a cooperativa. Hoje são 327 famílias associadas de 12 municípios gaúchos, que cultivam 850 hectares de videiras.
No primeiro ano de fundação, a produção ficou em 300 mil litros de vinho com os 73 associados. Três anos depois, já eram 260 associados. E em menos de dez anos, a produção passou para 3,5 milhões de litros, alcançando 10 milhões de litros em 1949, com mais de 1.000 associados. Fundada por imigrantes italianos e descendentes de primeira geração, a Garibaldi chegou a ser a maior cooperativa vinícola de todo o continente americano.
Oscar Ló lembra que um dos fatos mais marcantes da sua história foi a grande exportação de 1958, quando foi fechado um contrato de venda de 30 milhões de litros de vinho para a França. “Foi um marco para o setor vitivinícola brasileiro”, destaca. O negócio foi considerado a salvação da vitivinicultura gaúcha ao reduzir significativamente os estoques da época e ainda despertou o interesse dos consumidores brasileiros para o vinho nacional. A partir daí, a imagem dos vinhos elaborados no Rio Grande do Sul se espalhou pelo país, chegando até a mesa dos brasileiros.
Nos últimos três anos, o volume de investimentos na Garibaldi soma cerca de R$ 10 milhões no seu parque industrial, que hoje ostenta a 7ª posição no ranking dos maiores produtores de vinhos finos do Brasil. Investimentos na ordem de R$ 1,5 milhão foram feitos em uma nova linha de engarrafamento para vinhos e sucos, além da compra de novos tanques (autoclaves), próprios para fermentação de espumantes pelo método charmat. Há apenas cinco anos elaborando espumantes, a Garibaldi é hoje a quarta maior produtora de borbulhas do País, com inúmeras premiações nacionais e internacionais aos seus produtos. O espumante Moscatel é o mais premiado do Brasil.
No ano passado, a cooperativa ainda inaugurou uma nova planta para produção de suco de uva, com investimento de R$ 6,5 milhões. Pioneira na produção de suco e vinho orgânicos, a comercialização já ultrapassa 1 milhão de garrafas por ano.
Situada a 120 Km de Porto Alegre, na cidade de Garibaldi, conhecida como “terra do champanha”, no coração da Serra Gaúcha – maior região vitivinícola do Brasil –, a cooperativa está instalada em uma área de 32 mil metros. O destaque para os turistas é o varejo, onde são comercializados os seus produtos, além de artesanato e acessórios para vinhos e espumantes. O terminal funciona diariamente das 9 horas às 17 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. Funciona na avenida Independência, 845. Telefone (54) 3464 8104.
Mais informações no site www.vinicolagaribaldi.com.br.

RAIO-X DA GARIBALDI

FATURAMENTO
è R$ 57,3 milhões alcançados em 2012– 11% maior do que em 2011
è Previsão para 2013 – crescer 22% e atingir R$ 70 milhões em faturamento

ESPUMANTES
è Venda de 1,15 milhão de garrafas – um acréscimo de 12,5 % em relação a 2011.
è O destaque foi o multipremiado espumante moscatel da Garibaldi fechou 2012 com a venda de 310 mil garrafas –17% a mais do que em 2011.

VINHOS
è Venda de 700 mil garrafas de vinhos finos em 2012, mesmo número de 2011.
è Venda de 1,5 milhão de litros de vinhos de mesa, ante a comercialização de 1,9 milhão de vinhos de mesa em 2011. Esta queda é explicada pelo aumento na produção de suco de uva.

SUCO
è Venda de 3 milhões de litros de suco de uva integral (com 100% da fruta) em 2012 – 75% a mais do que em 2011.
è A venda total de suco de uva alcançou 3,5 milhões em 2012.

Nenhum comentário: