Total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de julho de 2013

GASTOS DE ESTRANGEIROS NO BRASIL SEGUEM CRESCENDO


Na avaliação do economista da Embratur, a desvalorização do real faz com que estrangeiros usem menos dólares para trocar os mesmos reais. Impacto na economia continua crescendo

Mesmo com a desvalorização do real frente à moeda norte-americana, a entrada de divisas por meios de viagens internacionais no Brasil deverá ser recorde. É a avaliação do economista e assessor da Presidência da Embratur, Leandro Garcia. Em 2012, os turistas estrangeiros gastaram US$ 6,645 bilhões no Brasil, aproximadamente R$ 12,9 bilhões pela cotação média. “Neste ano, o país irá registrar maior ingresso de dinheiro em função dos turistas vindos de outros países”, destacou Garcia.

A cotação do dólar altera a entrada de divisas no Brasil?

Em termos, sim. No ano passado, a taxa de câmbio ficou entre R$ 1,70 e R$ 2,00. No primeiro semestre de 2013, a moeda norte-americana chegou a R$ 2,20. A desvalorização da moeda brasileira faz com que o turista estrangeiro precise gastar menos dólares para trocar a mesma quantidade de reais que comprava no ano passado. Ou seja, o mesmo número de dólares gastos significa que mais reais foram gastos. Assim, o impacto na economia interna dos reais movimentados segue crescendo.

Vale destacar que os estrangeiros que visitaram o Brasil este ano injetaram quase US$ 3,5 bilhões na economia brasileira, valor equivalente a R$ 7 bilhões pela cotação média do dólar em 2013. Considerando a movimentação em  real, o crescimento nos primeiros seis meses chegou a 9,6% em divisas. Isso significa que a entrada de divisas entre janeiro e junho de 2013 já foi maior, tanto em dólares quanto em reais, se comparada ao mesmo período de 2012.

E quais são as expectativas da Embratur para 2013? Já é possível prever a entrada de divisas do ano?

A expectativa é de crescimento. Os números mostram que haverá um incremento de 10% mensal nos valores em reais. Em função da desvalorização cambial, o crescimento em dólar tende a ser menos expressivo do que o em reais. Porém, deveremos fechar 2013 com um número de divisas, por meio de viagens internacionais, superior ao de 2012. A Copa das Confederações 2013 e a Jornada Mundial da Juventude, que estão acontecendo no Rio de Janeiro (RJ), serão responsáveis por auxiliar o Brasil a bater esse recorde, alcançado ano a ano.

Desde 2003, quando a Embratur passou a dedicar esforços exclusivos para inserir e promover o Brasil no mercado mundial como destino turístico, as iniciativas têm trazido resultados bastante positivos e animadores para a economia. Para se ter uma ideia, em 2002, os turistas gastaram em terras brasileiras US$ 1,998 bilhão, o que chegou a R$ 5,981 bilhões pela cotação média daquele ano. Em 2012, alcançamos a marca dos US$ 6,645 ou R$ 12,9 bilhões. Um crescimento de mais de 200%, em dólares, ou 100%, em reais.

Qual sua avaliação sobre o déficit na conta turismo?
O número de brasileiros viajando para o exterior e de estrangeiros vindo para o Brasil é praticamente o mesmo. A questão é que os brasileiros, quando viajam, fazem muitas compras, o que não ocorre com os estrangeiros aqui, que gastam basicamente com hotéis, alimentação e passeios. Então o problema não está propriamente na economia do turismo. O déficit não decorre do número de turistas que entram e que saem, e sim do perfil e do comportamento de uns e outros.

Nenhum comentário: