Total de visualizações de página

terça-feira, 16 de julho de 2013

COPA DAS CONFEDERAÇÕES MOVIMENTOU R$ 740 MILHÕES NA ECONOMIA DO TURISMO



Em entrevista a um conjunto de rádios de todo o Brasil, o presidente da Embratur
destacou o retorno financeiro que os megaeventos dão ao país  

O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Flávio Dino, participou, na manhã de hoje (16), do programa de rádio Brasil em Pauta, que contou com a participação de emissoras de todo o país. A entrevista foi produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e transmitida ao vivo pela NBR TV e via satélite. O impacto dos grandes eventos na economia do país foi o assunto mais abordado em todo o programa. “Um estudo da Embratur mostrou que o turismo teve um impacto bem maior que o previsto”, disse Dino.   Foram 16 partidas de futebol em duas semanas da Copa das Confederações 2013, que acabou sagrando o Brasil campeão. Mas, para a economia do turismo brasileira, foram R$ 740 milhões a mais movimentados por toda a cadeia – que inclui hotéis, alimentação fora do lar, entre outros.

Os gastos de turistas – brasileiros e estrangeiros – foi estimado pela Embratur em R$ 321,79 milhões, enquanto a Fifa projetou os gastos de suas seleções e delegações em R$ 70 milhões. O efeito indireto na economia foi de R$ 348,69 milhões, segundo estimativa da Embratur.

“Esse é um retorno importante porque é imediato e vai direto para o bolso do empreendedor da longa cadeia associada ao turismo”, afirmou o presidente da Embratur, durante a entrevista. “A longo prazo, o principal retorno é de imagem, já que o nome e os atributos do Brasil são divulgados no mundo inteiro durante o período dos megaeventos”.

Dino também falou, para rádios de todo o pais, que no quesito visibilidade, a final da Copa das Confederações 2013 bateu o recorde de público televisivo da competição, segundo dados divulgados pela Fifa. A partida entre as seleções de Brasil e Espanha foi vista por 69,3 milhões de pessoas nos 10 principais mercados televisivos do mundo – como Alemanha, China, França e Estados Unidos, entre outros.

“Do ponto de vista da promoção internacional do turismo brasileiro, isso é um ganho espetacular, que só seria alcançado com um investimento muito massivo de recursos em publicidade televisiva nesses mercados”, afirma o presidente da Embratur, Flávio Dino. Ele lembra que, além das informações sobre o estádio e as reportagens antes e depois da partida, feitas pelos mais de 3 mil jornalistas credenciados, antes do jogo foi exibido um filme com os principais atrativos turísticos do Rio de Janeiro.

Press trips

A Embratur aproveitou os 15 dias da Copa das Confederações para promover roteiros associados às cidades-sede do campeonato – e também já da Copa do Mundo. “Como a competição vai abranger todas as regiões do Brasil, é uma excelente oportunidade de mostrar toda a variedade de destinos do país”, avaliou Dino.

Por isso, o Instituto realiza quatro press trips para apresentar a 13 jornalistas de nove países, as estruturas dos estádios das cidades-sede da Copa das Confederações (2013) e do Mundo de 2014, os atrativos de ecoturismo, a cultura e as belezas naturais de cada região do Brasil.

Rio de Janeiro, Brasília, Cuiabá (MT), Manaus (AM), Belo Horizonte (MG), Natal (RN) serão alguns dos cenários que farão parte da viagem. Os jornalistas espanhóis e portugueses, por exemplo, vão conhecer também, além de Brasília e dos roteiros Cívico e Niemeyer (que passa pelos monumentos do arquiteto Oscar Niemeyer), o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e as Cachoeiras de Pirenópolis.
https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

Nenhum comentário: